Oi Pessoal!

Resolvi fazer esse post para refletirmos juntos… Há muito tempo atrás, as pessoas costumavam classificar seu público-alvo pela faixa etária. Todos diziam, meus produtos são para pessoas dos 20 aos 35 anos (por exemplo). E continuo ouvindo isso hoje em dia… Mas será que faz sentido vocês pensarem assim? Ainda conseguimos massificar o estilo de vestir das pessoas pela idade?

É só parar para olhar em volta e vocês vão perceber que esse conceito é totalmente furado. Pegando exemplos extremos, reparem no estilo da Suzana Vieira, Ana Maria Braga e da falecida Hebe. Tem muita mulher mais jovem que não se veste assim sexy. E são todas mulheres na melhor idade. Citei essas três mulheres que tem o estilo extremamente jovem para vocês conseguirem visualizar e entender bem.

É claro que a idade vai contar na hora de vocês desenvolverem o produto de vocês. Ela deve ser levada em consideração na parte do tamanho e modelagem. Se vocês querem atender um público adolescente ou pré-adolescente por exemplo, a grade com certeza vai ter que começar no PP e 34. Mas o importante é vocês definirem qual estilo querem para a sua confecção. Patricinha? Roqueira? Descolada? Super Fashion? Roupas casuais, para trabalhar ou eventos? Todas essas definições é que vão ajudar vocês a darem uma cara para o seu produto, um estilo que as pessoas se identifiquem. E com essas questões bem definidas, vocês conseguem comprar melhor os tecidos, aviamentos, definir um plano de coleção com a quantidade de modelos… Uma coleção que atenda a várias necessidades do seu cliente, em várias ocasiões ( trabalho, passeio, festa…) precisa ser dividida e trabalhada em linhas para que nenhuma ocasião fique desfalcada de produto. Definindo claramente o(s) estilo(s) que vocês querem atender e as ocasiões, fica mais fácil traçar o planejamento e as estratégias. Até a adequação das tendências fica mais fácil.

Já atendi clientes que quando fui na loja conhecer a coleção, cada produto em si, era bem pensado e executado. Mas no conjunto, era uma grande confusão… A coleção não tinha uma cara, um estilo, era um monte de modelos aleatórios misturados. Então realmente as pessoas entravam e acabavam comprando pouco porque ninguém se identificava… Ter um confecção hoje em dia é muito mais do que fazer roupa bonita. Vocês têm que ter uma coerência e isso não é papo de estilista conceitual não. Como citei no exemplo acima, sem um estilo definido, sem coerência na loja, isso afeta diretamente nas vendas sim.

É muita coisa para pensar? Vocês acham difícil definir? Escrevam! Separem um caderninho e vão escrevendo o que vocês querem para a confecção de vocês. É muito mais fácil organizar as idéias quando elas estão no papel. E isso também é um hábito… Quando vocês se acostumarem a organizar e planejar, não conseguirão mais trabalhar de outra maneira. E tudo flui melhor eu garanto.

“Não deixe para amanhã o que pode ser feito hoje e não deixe para hoje o que você poderia ter feito ontem!” As mudanças e melhoras começam com ATITUDES. Então… AVANTE!

Bjs!!!