Oi Pessoal,

Feliz Ano Novo!!! Espero que todos tenham passado a virada com muita saúde e alegria. Acabei não postando ontem porque queria que fosse um assunto especial para iniciarmos 2016… Então pensei, refleti, escrevi, reli e reescrevi, resumi e… aí está! Espero que gostem!

Aproveitando que esse é o primeiro post do ano, quero falar sobre algo fundamental: PLANEJAMENTO.

Planejar nosso novo ano, em todas as áreas da vida é muito importante. Nada impede que haja mudanças e redirecionamento durante o caminho, mas é com planejamento que conseguimos sair do lugar e focar nas nossas metas sem nos perdermos no meio do percurso.

Quem ainda não planeja suas coleções deve parar para analisar a performance do seu negócio. Além de um impacto direto na coleção, o planejamento também reduz muito o estresse de última hora e as horas extras. Todo mundo sabe que em confecção, o que não falta são imprevistos e pepinos. Então, se estivermos planejados, todos esses contratempos serão muito melhor solucionados porque nossa coleção estará andando dentro de um cronograma e não sendo levada “aos trancos e barrancos”, pensando hoje o que faremos amanhã e sempre atrasados correndo para fazer a última novidade.

Abaixo listei alguns pontos para vocês refletirem e que irão ajudar a pensar no seu modelo de negócio e no planejamento da sua coleção.

  1. Defina o seu público-alvo (cliente) e saiba muito bem quem não é o seu público. Isso ajuda muito na hora de desenvolver sua coleção. Defina esse ponto baseado no estilo que quer vender, no tipo de pessoa que você quer atender ou na ocasião. Não defina só pelo critério de faixa etária como se fazia antigamente porque isso é totalmente furado. E saiba muito bem quem não é o seu cliente, para não dispersar e criar uma coleção confusa, que não atende bem nem A nem B.
  2. A coleção começa com PESQUISA. Não tenha preguiça e sempre esteja antenado com as informações e novidades, tanto sobre tendências, quanto os lançamentos de tecidos e aviamentos. A pesquisa é a parte mais importante no processo de criação. É com ela que tudo começa e é ela que vai mostrar o caminho que iremos seguir na estação.
  3. Número de modelos da coleção. Esse número vai ajudar você a planejar suas compras e setorizar sua coleção.
  4. Mix de produtos. Esse é um ponto essencial. Devemos ter esse mix balanceado com variedade e pensando nas proporções (partes de cima com partes de baixo por exemplo).
  5. Mix de preços. Muito importante para a coleção não ficar toda muito cara ou toda só com itens muito baratos e básicos.
  6. Quantidade do corte/corte mínimo. Esse ponto é importante para direcionar as compras.
  7. Proporção entre tecido plano e malharia. Aqui entra a proporção entre as matérias-primas da coleção. Eu simplifiquei em tecido plano e malharia, mas poderia entrar tricô, acessórios, etc.
  8. Proporção entre liso e estampado.
  9. Cronograma de datas. Este é um ponto muito importante na coleção. Comece seu cronograma de trás para frente. Qual a data que você quer lançar sua coleção? A partir dai trace as datas para que cada etapa do processo se realize. Conte sempre com os imprevistos, não adianta fazer um cronograma bonito no papel mas que seja impossível de cumprir na vida real.
  10. Criar temas/familias. Nesse ponto você deve dividir sua coleção em subgrupos, para que ela esteja dentro do seu público-alvo e tenha variedade (tanto de modelos quanto de matéria-prima).

Faça um MAPA DA COLEÇÃO e vá acompanhando o desenvolvimento por ele, analisando mudanças que você acha necessárias no meio do processo e conferindo se o que está sendo realizado bate com o que foi planejado.

Uma coleção bem planejada e bonita vende muito mais do que uma coleção maravilhosa e que não está bem planejada. Isso eu comprovei durante esses anos que estou no mercado e funciona em todos os modelos de negócio. Esse planejamento engloba tanto os pontos acima quanto a organização da coleção e dos processos.

E o que vocês precisam ter em mente para ter sucesso nas vendas? O que nós do desenvolvimento de produto nunca podemos esquecer ao escolher um tecido, definir um modelo, cor e fazermos cotação de preço? O segredo é o VALOR PERCEBIDO pelo cliente. Quem consegue transmitir um VALOR PERCEBIDO maior do que o preço da peça com certeza tem sucesso nas vendas.

O assunto de hoje é diferente de tudo que já postei, ele trata da parte estratégica do nosso trabalho. Existem métodos de trabalho para colocar em prática tudo que comentei acima. E há outros pontos também, mas que deixei de fora para o post não virar um livro. Se vocês gostaram desse assunto e quiserem mais posts com esse foco, deixem comentários!

Bjs!!!